Em Novembro de 2013 uma Tartaruga Verde encalhou próximo a Associação Boca do Golfinho no Serviluz, e nada pode ser feito para salvá-la. Dessa História, em 2014, surgiu GTAR-Verdeluz, procurando estudar a vida das Tartarugas Marinhas, e provar que elas existem em Fortaleza, para que ações dos órgãos competentes em prol de sua conservação pudessem ser cobrados. Hoje realizamos atividades de Educação Ambiental Itinerante (Em Espaços públicos e instituições) e Inclusivas (Em instituições), Monitoramento de Campo e Coleta de Lixo, Necropsias e Maceração. A necessidade do trabalho transdisciplinar envolve estudantes de diversas áreas, além do apoio das Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade Estadual do Ceará (UECE) e Orientadores das Instituições. Além de parcerias com o Corpo de Bombeiros do Estado do Ceará, o Centro de Triagem de Animais Selvagens do Ibama (Cetas-IBAMA), realizando nossas atividade sob autorização do Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade (SISBIO).

Hoje, nosso trabalho é subdividido em 3 áreas temáticas: A Educação Ambiental, com  atividades em comunidades fortalezenses, escolas e ONGs; Monitoramentos de praia realizados mensalmente na costa de Fortaleza, na porção leste de Fortaleza(Cais do Porto, Praia do Futuro, Caça e Pesca, Sabiaguaba e Abreulândia); E necropsias realizadas em parceria com o Laboratório de Anatomia e Laboratório de Patologia e Medicina Legal Veterinária buscando identificar a causa mortis dos animais encontrados mortos em recente estado de decomposição.

Juntar conhecimentos e esforços é imprescindível para a conservação de espécies ameaçadas. Assim desenvolvemos nossas através do trabalho voluntário de estudantes dos cursos:  Ciências Biológicas, Medicina Veterinária, Oceanografia, Engenharia Ambiental, Engenharia de Pesca e Oceanografia, sob orientação de três professoras, sendo uma Bióloga, uma Veterinária e uma Engenheira de Pesca. Todo o trabalho é desenvolvido com o apoio das Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade Estadual do Ceará (UECE). Possuímos também parcerias valiosas com o Corpo de Bombeiros do Estado do Ceará, o Centro de Triagem de Animais Selvagens do Ibama (Cetas-IBAMA), realizando nossas atividade sob autorização do Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade (SISBIO).

Atualmente atingimos cerca de 300 pessoas por mês, desde crianças a adultos, nas diferentes atividades desenvolvidas. Buscamos futuramente conseguir mais voluntários e recursos a fim de atingir mais pessoas e contribuir para a conservação das Tartarugas Marinhas na orla de Fortaleza-CE.

 

Veja nossa galeria de fotos!